liberdade: Dezembro 2008

liberdade

31.12.08

liberdade.2008.2009

2008 foi muito importante, por isso difícil e duro. sinto, como quem sabe, que 2009 vai ser também importante, mas mais fácil, sinto... palavras-chave-para-2009: desfrutar (já vem deste ano); concretizar; presente; liberdade. então um muito bom e importante ano 2009! :)

bem sei que a medida, ou o km do caminho, não é o mesmo e por isso não me serve. mas por alguma razão, mais prática talvez, continua a parecer-me um

desperdício, mas enfim... dou o ano de 2009 de bandeja para outras matérias também importantes e urgentes, sentindo, como quem sabe, que no ano de 2010, vou ter o som de uma viola na minha vida (literalmente falando).

chuva e facturas

...

30.12.08

virose

...não sei se vou aguentar aos bocadinhos... e ainda por cima depois de vista com o vizinho que a esta hora já teve o vómito por inteiro, ou quase, dada a companhia. amanhã vê lá se arranjas maneira de vomitar para cima de mim... hum!

29.12.08

nevoeiro

27.12.08

e eu,

vou-te dando poder para que faças bom uso dele, claro!

24.12.08

sem stress

(giulia orecchia, milano)
no meio de tanto trabalho, de tanto, tanto cansaço e uma constipação que se reinventa todos os fins de dia, no frio do recreio de uma escola primária. presentes embrulhados há dois dias, com etiquetas e tudo, lindos! o nosso presépio quase completo e a mesa posta com talheres de prata, areados pela mar e toalha branca imaculada, panetone porque é giro e bom, loiça azul e branca com cavalinho a lembrar-me a minha avó mimi, para o pequeno-almoço de amanhã de crepes, gelado e molho de chocolate, e tudo o mais que se queira. a casa está cada vez mais nossa-casa-boa, e depois de uma manhã tranquila de encontros de amigas, as três contentes, sem pressa e em paz. muiiiitooo bom/natal!! :)

21.12.08

cresci,

e hoje foi o primeiro dia, do resto da minha vida. e tu estavas lá, poderosa. e mais nada!!

morreram

os meus mitos/enganos. (de mim)
(de sedução)
(de amor)

18.12.08

ora deixa cá ver...

amanhã posso dormir mais duas horas, um luxo! depois vou a correr ver se faço o trabalho de casa do pai natal, mais outras duas horas de muita concentração e esperemos eficácia, num tudo ou nada que o tempo disponível é mesmo só esse. depois deixo uma filha no ensaio e corro para a festa dos outros quase 70 "filhos", à noite trabalho, mais trabalho, aquele da estafa de ultimamente que o trimestre fiscal está no fim. depois sábado, achava eu que ia poder desmaiar de manhã... marcação na garagem que o carro ultimamente grita, está zarolho e provavelmente cansado como eu. à tarde tenho uma lista de tarefas que no último mês se tornaram urgentes de tão adiadas, controlar o caos em que deixei de me reconhecer... domingo acho que posso voltar a desmaiar, desta vez mais convictamente :) depois mais tarefas e derreto-me com o espectáculo espectacular, agora em segunda sessão num espaço maior para mais pessoas.

sinceramente começo,

a não ter muita paciência. já me parece um bocadinho vira-o-disco-e-toca-o-mesmo, e?!

16.12.08

liberdade criatividade e emoções

mais um passinho para um dia, se quiser, ser ministra da cultura, ou isso! hum!...
parabéns! :)
e muito a propósito: - que raça de sorte a minha, em conhecer-te assim!

12.12.08

atordoada

sing. part. pass. de atordoar fem. sing. de atordoado atordoar conjugar v. tr., entontecer, aturdir; perturbar, confundir; importunar;v. int., pasmar, maravilhar;v. refl., estontear-se.

10.12.08

aquele,

está armado em vilão em casa do seu sogro.

ontem,

foi um dia daqueles... mas mal ou bem, estou finalmente inscrita no 3º ano.
depois à noite, fiquei a saber que houve jantar de turma :( e até chorei. eu sabia que ia haver, mas como as aflições têm sido constantes e crescentes e nestas alturas afasto-me e poupo os amigos à aflição de ficarem sem saber como me ajudar, esqueci-me e não houve ninguém para me lembrar :( tenho saudades e pena, tanta pena...

8.12.08

é bom,

deixar de precisar que todos gostem de mim e também por isso gostar mais e apenas de quem gosta. liberdade.
tu sabes, só podes ser amigo e isso, é muito...
nunca.

agarrada à vida,

inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro, inspiro, expiro.

que me lembre,

voei a noite toda.

2.12.08

liberdade,

e tb assim não posso/devo esquecer-me nunca, que no final, no que é verdadeiramente importante, menos é mais.

para além dos estudos,

a mesma vida/medida esmagadora/original de sempre.

ímpeto

do Lat. impetus. m., arrebatamento; impulso violento; força intensa; assalto repentino; agitação; precipitação.

1.12.08

investigando

a frase-chave-de-hoje: "porque estas têm tendencia para usar isso de forma a que se torne impossivel conviver com elas em vez de o usar da maneira certa", (vieira, 2008)., assim, para lá do ímpeto, da sequência de pensamentos/questões em estudo, enquanto afirmação e ainda que não total resposta à pergunta formulada, confirmo o quanto esta frase é verdadeira e intemporal, também portanto de futuro. agora, enquanto a absorvo ainda mais e largo o ego e as amarras do medo, aporto na evidência serena da poligamia dos seres :) e afinal na verdade espantosa da, afinal, resposta única e certa. não acredito que tenha consciência e experiência para tal sequência lógica ou dimensão, mas acredito que na espontaneidade de coragem que lhe é característica, atingiu a verdade.
decididamente ando a passar, finalmente..., pela "adolescência", ainda que tardia, ainda que fora de horas, sem pudor, mas que esperemos passe depressa, que fora de horas choca, na maior parte das vezes, com a lucidez, com a experiência e por isso grande dissonância de quem já não se ilude assim, mas precisa ainda de sonhar. adiante!
nunca.

liberdade...

lampejo?... s. m., clarão, faísca; fig., manifestação rápida e brilhante de uma ideia, de um sentimento.